Make your own free website on Tripod.com

Era uma vez... 


@ O LEÃO DE PEDRA

lualua Era uma vez dois irmãos que moravam com a mãe, numa grande casa de fazenda. O pai havia morrido. O irmão mais velho era astuto e egoísta; o mais novo era bondoso e gentil. O mais velho não gostava do mais novo, porque ele era honesto e nunca enganava ninguém para tirar vantagem. Assim, um dia disse a ele:
- Você precisa ir embora. Não aguento mais você.
Então o mais novo juntou tudo o que possuía e foi despedir-se da mãe. Quando ela soube o que o mais velho havia feito, disse ao mais novo:
- Também vou com você, meu filho. Não vou ficar morando aqui com um homem tão desalmado quanto seu irmão.

Na manhã seguinte, a mãe e o irmão mais novo partiram juntos. Ao cair da noite, chegaram a uma cabana ao pé de uma montanha. Dentro, só tinha um machado atrás da porta e mais nada. Mas deram um jeito de jantar e passaram a noite na cabana.
Quando amanheceu, viram que havia uma grande floresta desse mesmo lado da montanha. O filho pegou o machado, entrou na floresta e partiu lenha suficiente para fazer um carregamento até a cidade, que ficava do outro lado da montanha. Vendeu a lenha sem dificuldade e voltou alegre para a cabana, trazendo comida e algumas roupas para ficarem mais confortáveis.
- Veja, mãe - disse -, posso ganhar o suficiente para sustentar a nós dois. Podemos viver felizes aqui.
Dia após dia, ele saía e cortava lenha; à noite levava para a cidade e vendia. Sempre tinha o suficiente para comer, e tudo o mais de que precisavam para viverem com alegria e conforto.
Um dia, o rapaz foi mais longe que de costume, procurando madeira melhor. Foi subindo, subindo, até que deparou com um leão esculpido em pedra.
"Oh", pensou o rapaz, "Deve ser o Deus guardião dessa montanha. Amanhã, vou trazer-lhe uma oferenda."

Naquela noite, comprou duas velas e levou-as para o leão. Acendeu-as, uma de cada lado do leão, e rezou pedindo que sua boa fortuna nunca se acabasse.
Enquanto estava rezando, o leão subitamente abriu a grande boca de pedra e disse:
- O que você está fazendo aqui ?
O rapaz contou-lhe a história do irmão desalmado, como ele e a mãe tinham saido de casa e estavam morando agora na cabana ao pé da montanha.
Após ouvir toda a história, o leão disse:
- Amanhã, você deverá trazer uma cesta e colocá-la debaixo da minha boca. Vou enchê-la de ouro para vocês.
No dia seguinte, o rapaz trouxe a cesta e colocou-a bem debaixo da boca do leão.
- Tome bastante cuidado para me avisar quando a cesta estiver quase cheia - disse o leão -, pois se algum pedacinho de ouro cair no chão, você vai atrair muitos problemas.
O rapaz tomou muito cuidado e fez exatamente como o leão mandou. Pouco depois, já estava a caminho de casa, levando para a mãe a cesta cheia de ouro.
Ficaram tão ricos que compraram uma linda fazenda, bem grande, e foram morar lá. Tudo que o rapaz empreendia logo prosperava. Ele trabalhava bastante, e ficou muito forte. Alguns anos depois, casou-se e trouxe a mulher para morar com eles. Viviam muito felizes.

O irmão mais velho acabou sabendo da prosperidade do mais novo. Ele também estava casado e tinha um filho. Resolveu ir com a família fazer uma visita ao irmão mais novo. Não demorou a saber toda a história da boa sorte deles, e como o leão lhes dera aquele ouro todo.
- Eu também vou tentar - disse ele.
Partiu com a mulher e o filho para a mesma cabana onde o irmão tinha morado e passaram a noite lá.
Logo na manhã seguinte, foi visitar o Leão de Pedra, já levando uma cesta.
Quando acabou de contar suas intenções, o leão disse:
- Vou satisfazer seu desejo, mas você deve tomar muito cuidado para me avisar quando a cesta estiver quase cheia. Se pelo menos uma pedrinha de ouro encostar no chão, uma grande desolação certamente vai se abater sobre vocês.
Mas o irmão mais velho era tão ganancioso que ficou sacudindo a cesta para caberem mais pepitas de ouro. E nem avisou ao leão quando a cesta estava quase cheia, como fizera o irmão mais novo; ele queria o máximo que saísse da boca do animal.

De repente, uma das pepitas caiu no chão.
- Oh - gritou o leão -, tem uma pedra muito grande entalada na minha garganta ! Enfie a mão e retire-a; é a maior de todas !
O ganancioso foi logo enfiando a mão - e o leão fechou depressa a boca.
E o homem ficou preso lá; o leão não abriu a boca de jeito nenhum. Todo o ouro da cesta transformou-se em poeira e pedras.
Quando caiu a noite e o marido ainda não tinha voltado, a mulher ficou preocupada e saiu à sua procura. Acabou encontrando-o, com o braço bem preso na boca do leão. Estava cansado, com frio e com fome. Ela consolou-o como pôde e lhe trouxe comida.
Todos os dias a mulher tinha que levar comida para o marido. Porém, um dia o dinheiro acabou, o filho estava doente e a própria mulher também estava passando muito mal, sem poder trabalhar. Ela foi até o marido e disse:
- Não há mais comida para você, nem para nós. Todos nós vamos acabar morrendo. Quem me dera nós nunca tivéssemos vindo aqui para tentar ganhar o ouro !
O leão, que estava ouvindo tudo, ficou tão satisfeito com aquele desgraça que começou a rir deles. Só que, para rir, acabou abrindo a boca, e o homem ganancioso rapidamente tirou o braço para fora, antes que o leão fechasse os dentes de novo.
Fugiram correndo daquele lugar onde tiveram tanto azar e foram mais uma vez à casa do irmão mais novo. Este teve muita pena deles e lhes deu dinheiro suficiente para comprarem uma casa pequena, para onde se mudaram.
O irmão mais novo, a mulher e a mãe continuaram a viver felizes na sua linda fazenda, mas sempre se lembravam do Leão de Pedra na montanha, a quem deviam sua boa sorte.


(Extraído do Livro das Virtudes II de Willian J. Bennett - Editora Nova Fronteira)





| HOME | ORIGAMI | PRISMA | ERA UMA VEZ... | AMIZADES 
| ORÁCULO | HOT-LINKS | NOSSAS FOTOS | FILMESESCREVA PARA NÓS 

©1997-2002, Chave Mágica
by Leandro Amaral e Ricardo Namur
Ilustrações em aquarela: Sérgio Ramos