Make your own free website on Tripod.com

Era uma vez... 


@ A CHAVE MÁGICA
Era uma vez, dois grandes amigos que moravam em uma cidade pequena, bem próximo daqui.
Certo dia quando estavam voltando da escola, os dois pararam em frente à loja do Seu Almeida, e ficaram maravilhados ao verem uma coleção com 12 miniaturas de cavaleiros medievais, que estava na vitrine.
- Nossa..., veja só essas miniaturas.
- É uma pena que são tão caras - responde o outro um pouco desapontado ao ver a etiqueta com o preço.
- Mas, espere um pouco..., que dia é hoje?
- Acho que é dia 1, porque?
- Tá chegando o dia de escrever a carta para o Papai Noel.
Os dois se olharam, deram um sorriso e foram correndo para suas casas, sem comentar nada.

Eles partilhavam de um segredo que aprenderam com o próprio Papai Noel, em um sonho.
No dia 6 de dezembro eles colocavam uma carta debaixo do travesseiro, com o pedido de presente para o Natal. Se acordassem pela manhã e a carta tivesse sumido, eles sabiam que seu pedido ia ser atendido. Algumas vezes a cartinha não desaparecia, pois o Papai Noel devia ter os seus motivos, e sempre tinha...

Quando Rafael acordou pela manhã, a primeira coisa que ele fez foi colocar a mão debaixo do travesseiro. Sua surpresa foi maior do que ele imaginava, pois além da cartinha ter sumido, havia uma chave dourada, muito bonita.
Rafael, ficou sem fala por alguns instantes enquanto observava atentamente a chave. Ela brilhava muito e tinha algumas renas desenhadas, parecia mágica. Foi então que ele saiu correndo de seu quarto e foi contar para sua mãe.
Dona Maria estava preparando o café da manhã, quando viu seu filho chegar na cozinha tão entusiasmado, que mal conseguia falar.
- O que aconteceu, filho?
- Ma..Mãe, lembra da carta?
- Sim o que foi?
- Ela sumiu, mas encontrei essa chave no lugar dela.
Sua mãe sempre valorizou muito a fantasia e a imaginação como partes da verdade da vida, e não teve como conter a emoção. A chave parecia diferente de tudo o que ela já tinha visto.
- Nossa, filho é muito bonita mesmo. Agora guarde com cuidado, e não se esqueça que se você contar para alguém o que pediu na carta, Papai Noel não trará o seu presente.
- Eu sei mamãe - disse ele enquanto guardava a chave em seu bolso, com todo cuidado.
Rafael correu para a casa do Ricardo, para contar a novidade e saber se seu amigo também tinha tido sorte com a carta.
Mas logo que entrou na casa dele, sua mãe avisou que ele ainda estava no quarto e que estava muito triste.
Antes de saber os motivos, ele correu para encontrá-lo.
- O que aconteceu Ricardo?
- É que...., bem minha cartinha ainda está aqui. - disse ele enquanto deixava cair mais uma lágrima de seus olhos, que estavam muito vermelhos de tanto chorar.
- Não fique triste, amigo, a gente sabe que nem todo ano essa mágica dá certo. Papai Noel deve estar muito ocupado.
Rafael estava sem coragem de contar sobre a sua carta e muito menos sobre a chave. "O que eu faço?" - pensava ele. Foi então, que para diminuir o sofrimento do amigo, ele disse:
- Eu também não tive sorte, pois a minha carta não sumiu, e eu não tô triste. Bem..., só um pouquinho.
- Que pena! - disse Ricardo. - Mas..., sabe de uma coisa, já que não deu certo mesmo, podemos contar o que tínhamos pedido de presente. Eu pedi as miniaturas que nós vimos. E você, o que pediu?

- Bem..., eu.... - Rafael não sabia o que dizer. Se ele contasse o que tinha pedido, também ficaria sem presente, e se contasse sobre a chave, seu amigo ficaria muito triste.
Foi então, que ele resolveu sacrificar o seu presente de Natal, pela amizade e amor que tinha pelo seu amigo, e disse:

- E..., eu também tinha pedido as miniaturas, para podermos brincar, mas tudo bem..., o mais importante é que vamos passar o Natal juntos, e tenho certeza que a gente vai se divertir bastante.
Eles se abraçaram muito, pois era um daqueles momentos que o abraço fala mais do que as palavras.
Rafael tinha ficado sem presente, mas não estava triste, pois a amizade que ele sentia pelo Ricardo era mais importante do que tudo.
Enquanto voltava para casa, teve uma idéia...
- Já sei o que vou fazer, já que não vou ganhar mesmo o presente, vou tentar vender essa chave, para poder comprar um presente para o Ricardo.

Correu para a loja, onde tinha visto as miniaturas e...
- Seu Almeida, eu gostaria de vender essa chave, para poder comprar aquelas miniaturas da vitrine, de presente de Natal para um amigo.
O homem, pegou a chave e depois de olhá-la por algum tempo, pegou a coleção de miniaturas e disse para o garoto que aguardava ansioso:
- Rafael, o valor dessa chave só dá para você levar uma dessas miniaturas.
- Só uma? - respondeu ele um pouco desapontado. - Tá bom..., então eu quero aquele cavaleiro com o escudo e espada, pois foi o que meu amigo mais gostou.

Enquanto isso..., Ricardo também estava pensando em dar um presente para seu amigo, para que ele não ficasse sem receber nada na noite de Natal. Então resolveu, mesmo sem ter dinheiro, ir até a loja do seu Almeida.
Ele entrou na loja e ficou um tempão andando de um lado para o outro, quando seu Almeida, resolveu perguntar:
- E então Ricardo, você está procurando alguma coisa?
- Bem..., eu queria dar um presente para um amigo, mas tô sem dinheiro - diz ele enquanto mostra os bolsos vazios.
Seu Almeida era um bom homem, e não conseguiu resistir à boa vontade do garoto.
- Hummmm !!! - Acho que tenho algo para você, venha comigo.
Ele vai até o balcão e começa a procurar esse "algo" misterioso, deixando o garoto, muito curioso.
"O que será que é?" - pensava ele.
Depois de algum tempo de suspense, Seu Almeida diz aliviado:
- Veja Ricardo, é uma chave que dizem que é mágica, e acho que será um bom presente.
O garoto ficou encantado com a chave e parecia estar vivendo um sonho.- A chave é sua, Ricardo. Fica como um presente de Natal. - diz ele emocionado.
Ricardo nem sabia o que dizer de tanta alegria, e viu seu sonho se tornando realidade: "Tinha conseguido um presente para o Rafael, e além de tudo era mágico".
- Muito obrigado mesmo, Seu Almeida! - Espero que o senhor tenha um Feliz Natal!

Finalmente chegou a véspera do Natal e as famílias dos garotos sempre festejavam juntas, na casa do Rafael.
Dona Maria havia decorado tudo de forma simples e acolhedora. Na sala havia uma bela Árvore de Natal com alguns presentes.
Todos se sentaram à mesa e, antes de cearem, fizeram uma oração agradecendo pelo alimento e pelo amor que partilhavam nessa noite tão especial e mágica.
Após a refeição, todos se sentaram ao redor da árvore, para a troca de presentes. Os garotos estavam eufóricos, e seus olhos brilhavam.
- Bem Ricardo, esse presente é pra você. - diz Rafael.
- Nossa... Muito obrigado! - Nem sei o que dizer.- diz Ricardo enquanto já começa a rasgar o papel.
Seus olhinhos brilharam quando ele viu que era a miniatura do cavaleiro medieval, que ele tinha visto na loja.

- Você é demais mesmo, muito obrigado! - diz ele num abraço.
- Bem Rafael, eu também tenho um presente para você, é simples, mas de coração.
Quando ele abriu o embrulho, viu que era a chave que ele tinha vendido na loja. Não conseguia entender como era possível. A emoção foi tão grande, que por alguns instantes ele não conseguiu dizer nada. Todos estavam olhando e esperando que ele dissesse algo.
- e aí, gostou? - pergunta Ricardo impaciente - Me disseram que é uma chave mágica.
- Nem sei como te agradecer. - diz ele muito emocionado.
Nesse momento alguém bate à porta e quando a Dona Maria vai atender, não encontra ninguém, apenas uma caixa parecida com uma arca, com um cartão escrito assim:

"Para Rafael e Ricardo,
Um abraço mágico do Papai Noel"
.

- Meninos!, venham aqui, o Papai Noel deixou um presente para vocês.
Os dois foram correndo e logo trouxeram a caixa para perto da árvore de Natal.
- Mas está trancada - disse Rafael impaciente.
Os dois estavam tão preocupados em abrir a caixa, que demoraram um pouco para perceber o que estava acontecendo com a chave.

- Veja a chave está brilhando. - disse Ricardo.
Rafael pegou a chave e estava tremendo tanto, que mal conseguia acertar a fechadura da arca.
Finalmente ele conseguiu, e nesse momento, a arca foi envolvida em uma luz muito brilhante, e quando a tampa se abriu, os dois olharam dentro da caixa, e pularam de alegria quando viram o que ela continha:
A coleção das 12 miniaturas dos cavaleiros medievais, faltando apenas uma delas, que vocês já devem saber qual era, e um kit para pintar as miniaturas com 2 pincéis e 24 cores que pareciam mágicas.
Havia também uma carta para os meninos, com uma mensagem escrita pelo próprio Papai Noel, que dizia:

"Amigos Rafael e Ricardo, peço apenas para que vocês continuem assim, preservando a pureza do amor e da amizade que existe entre vocês, para quem sabe sensibilizar o coração de outros. Quem sabe..."

Naquela noite mesmo, como não havia segredos que durassem muito entre eles, Rafael contou sobre a chave e eles riram muito.
Rafael e Ricardo jamais esqueceram essa data, e hoje já não são crianças na idade, mas no coração prometeram ser sempre, para poder realizar o sonho do Papai Noel.


Autor : Ricardo Namur Claro

Gostaria de agradecer à minha esposa Rita Aubim pela inspiração e amor para escrever esse Conto de Natal, e ao meu amigo Rafael Jorge, pela amizade e amor, que me mantém sempre criança.



 


| HOME | ORIGAMI | PRISMA | ERA UMA VEZ... | AMIZADES 
| ORÁCULO | HOT-LINKS | NOSSAS FOTOS | FILMESESCREVA PARA NÓS 

©1997-2002, Chave Mágica
by Leandro Amaral e Ricardo Namur
Ilustrações em aquarela: Sérgio Ramos