Make your own free website on Tripod.com



MICRO ESPIRAIS DE URAL


A prova para saber se já fomos visitados por visitantes do espaço, pode estar relacionada com um achado arqueológico, ocorrido nas Montanhas de Ural, Rússia (1991-1993), onde foram encontrados micro-objetos que tem uma estrutura física inconsistente com a data que foi determinada para eles.

Os objetos encontrados são espiralados e com um tamanho de no máximo 3 cm, sendo que um deles tem apenas 0,003 mm. Foram encontrados vários deles próximos aos rios Narada, Kozhim, Balbanyu, Vtvisty e Lapkhevozh., há uma profundidade entre 3 e 12 metros.

Os objetos em forma de espiral são compostos por vários metais. Os maiores são de cobre, os menores, e o menor deles (0,0003 mm), são de metais raros: tungstênio e molibdênio.
O Tungstênio hoje é utilizado para endurecimento de aços especiais e em forma pura para filamento de lâmpadas incandescentes, seu ponto de fusão (derretimento), é somente a 3.410 graus (Celsius).
O Molibdênio também é utilizado para endurecer o aço e lhe dar propriedades não corrosivas, seu ponto de fusão (derretimento), é conseguido a 2.650 graus (Celsius).

Atualmente esses objetos estão sendo investigados em vários locais: Academia Russa de Ciências em Syktyvka - Moscou, St. Petersburg e no Instituto Científico em Helsinki - Finlândia.
Esses objetos são obviamente produto de uma inexplicável e altíssima tecnologia, somente equiparada à recente área da nanotecnologia. Ela ainda está no início, mas os engenheiros estão pensando em aplicações como micro-sondas, que poderiam auxiliar em cirurgias.
As datas estimadas variam muito, pois alguns objetos estão datados entre 20.000 e 318.000 anos e outros entre 2.000 e 20.000 anos, podemos ver que as datas são bem imprecisas, mas considerando a menor delas, 2.000 anos, já temos um bom problema para explicar a existência de tais objetos.

 


 

| HOME | ORIGAMI | PRISMA | ERA UMA VEZ... | AMIZADES 
| ORÁCULO | HOT-LINKS | NOSSAS FOTOS | FILMESESCREVA PARA NÓS 

©1997-2001, Chave Mágica
by Leandro Amaral e Ricardo Namur
Ilustrações em aquarela: Sérgio Ramos